Notícias

FENAPI elege representantes, e beneficiários do INSS vão participar pela primeira vez da Conferência Nacional de Formação da CUT

Pela primeira vez, aposentados, pensionistas e idosos irão participar da 4ª Conferência Nacional de Formação da CUT, que vai acontecer entre os dias 27 e 31 de maio, em Belo Horizonte. Os delegados e a delegada foram escolhidos na manhã desta quarta-feira (24), na sede da CUT, em São Paulo, na etapa temática da 4ª Conferência, organizada pela Federação Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos (Fenapi).

Wilson Roberto Ribeiro, Renilva Mota Ferreira e Ivanildo Amancio, o Miúdo, foram os escolhidos para levar os pontos aprovados na atividade temática para a etapa nacional.

Além de escolher os representantes para a etapa nacional da 4ª Conferência, o público da atividade da Fenapi debateu sobre o futuro do mundo do trabalho, a 4º Revolução Industrial e fizeram trabalhos em grupos para discutir os temas e discutir propostas para o Plano Nacional de Formação (PNF), um dos principais objetivos da etapa nacional.

Segundo a formadora da secretária de Formação da CUT, Conceição Oliveira, que acompanhou todos os debates da etapa temática, foi muito importante a participação da Fenapi na Conferência.

“Eles têm uma memória da ditadura militar e das lutas por trabalho decente e podem contribuir com uma nova proposta de formação. A experiência e a disponibilidade deles vão ser fundamentais para a PNF”, afirmou Conceição.

Público da etapa temática assistindo o vídeo sobre a 4º Revolução Indústrial

Público da etapa temática

A maioria do público presente na etapa temática da Conferência era homens. Das 17 pessoas que participaram apenas três eram mulheres e a única delegada escolhida, Renilva Mota Ferreira, é secretária de Mulheres da Fenapi.

“ Quando se trata dos aposentados, idosos e pensionistas, as mulheres são minoria sempre porque mesmo aposentada a mulher continua com as responsabilidades domésticas e dos cuidados dos parentes que adoecem e que dificultam a presença delas na organização dos trabalhadores que não estão mais no mercado de trabalho”, afirmou Renilva, que complementa:

“Além de levar as propostas aprovadas pelo coletivo que participou da etapa temática, como formação de uma pré-aposentadoria para os trabalhadores na ativa e de uma pauta de reivindicações que nos ajude a manter o aumento real de nossos benefícios neste momento de ataques de direitos, também poderei levar as pautas específicas das mulheres aposentadas, pensionistas e idosas”.