Notícias

Em grupos, trabalhadores discutem novo modelo sindical na 4ª Conferência

Na parte da tarde, do quarto dia da 4ª Conferência Nacional de Formação da CUT nesta quinta-feira (30), em Belo Horizonte, os cerca de 450 trabalhadores e trabalhadoras de todas as regiões do país, se dividiram em grupos temáticos para dialogar e pensar propostas para o Plano Nacional de Formação da CUT (PNF), que será apresentado no Congresso da CUT, em outubro.

No tema “Estrutura e papel da Rede Nacional de Formação da CUT” o debate foi em torno de aprimorar a estratégia CUTista de ampliação, fortalecimento e integração da rede de formação considerando os desafios atuais.

Os participantes do grupo propuseram algumas ações como reaproximação com a base, ampliar o arco de alianças com os movimentos sociais, trabalhar linguagens e conteúdo que atraia e dialogam com a base, com os movimentos sociais e comunidades.

Para eles, a formação política do trabalhador tem que ser no cotidiano sindical, mesmo nos momentos festivos, como capacitar as lideranças para a atuação política participativa.

O grupo de debate do Programa da Política Nacional de Formação da CUT reforçou a importância de um modelo solidário entre os sindicatos, que não se limitaria somente aos espaços físicos, mas compartilhamento de materiais e outras ações coletivas.

Quando entraram na pauta financeira, umas das propostas para aprofundamento é a diversificação das fontes alternativas, de forma que haja recursos que garantam a participação dos trabalhadores nos cursos de formação, como a realização de rifas, bingos e taxas de participação de atividades locais.

Outro grupo tinha a responsabilidade de debater especificamente a Sustentabilidade Financeira da Política de Formação da CUT, veio na mesma linha.  Os trabalhadores disseram que é preciso “resgatar a compreensão de que as finanças estejam à disposição do projeto político, e que os sindicatos sejam instrumentos de lutas da classe trabalhadora, e resgatar o princípio da solidariedade entre trabalhadores e entre entidades sindicais”.

E a ideia dos delegados e delegadas da 4ª Conferência é estender a solidariedade na luta com os movimentos sociais.

Para o grupo que discutiu “Princípios e estratégia da Política Nacional de Formação da CUT”, é mais do que nunca a articulação com os movimentos socais deve se basear na garantia do despertar da consciência de classe e a percepção da importância da unidade para a luta, contribuindo para que os trabalhadores e as trabalhadoras tenham uma visão crítica da realidade concreta, das relações sociais e de produção no mundo concreto em que estão inseridos.