Notícias

Educação popular, trabalho de base e defesa de direitos andam juntos

A afirmação foi feita por especialistas da educação popular e da academia na 4ª Conferência Nacional de Formação da CUT, por Benedito Maia

Na parte da tarde do terceiro dia da 4ª Conferência Nacional de Formação da CUT, o debate sobre a Defesa dos Direitos, da Democracia e do Socialismo na Educação Popular e Formação de base aconteceu em uma das cinco mesas debatedoras que estão acontecendo simultaneamente no Sesc Venda Nova, em Belo Horizonte.

Ranulfo Peloso, do Centro de Educação Popular Instituto Sedes, falou sobre a educação popular e disse que é preciso educar o povo para exercer seus direitos, “como disse Paulo Freire”.

Segundo ele, a luta pela educação não pode ser só de dentro da escola, tem que ser na rua.

“São os esforços de organização e mobilização das classes trabalhadoras que prepara o exército do poder com uma concepção de formação política que empodera a classe trabalhadora para lutar por direitos”, disse  Ranulfo.

No centro da mesa, a secretária de Políticas Sociais e Direitos Humanos da CUT, Jandyra Uehara

Ele afirmou que vivemos momento de resistência, de sobrevivência e não podemos deixar matar o nosso querer, a nossa ideologia. “Sem a formação não se muda, a formação é um instrumento de transformação”.

“Tem que qualificar a militância e incorporar a massa como protagonista”, avaliou Ranulfo.

Sandra Regina de Oliveira Garcia, do Núcleo Trabalho e Educação da Universidade Estadual de Londrina disse que é por isso que Paulo Freire, Gramishi e Max vem sendo criminalizado e atacado pela direita que está no poder.

“A concepção de educação popular leva a Max e Gramishi que defendem a emancipação do homem. A formação integral do sujeito é fundamental para que possa os atuar na edição popular e na disputa do Estado”, afirmou ela.

Segundo a especialista, é fundamental que a CUT retome estratégias de formação na CUT porque a demanda de formação e o que aproxima os trabalhadores.

“A educação popular tem papel importante para a formação dos trabalhadores e das trabalhadoras  na disputa do capital e trabalho”, disse Sandra

Ranulfo disse que a educação popular e o trabalho de base andam juntos. “A transformação passa pela educação e leva-la até onde o trabalhador e a trabalhadora está é uma estratégia política”, finalizou ele.